Categorias
Ajuda prática Família e Amigos Gravidez pós-perda Perda gestacional

Anunciar uma gravidez a alguém que perdeu um bebé

anunciar a gravidez a alguém que perdeu um bebé

Uma das conversas mais desafiantes que se pode ter com uma família que perdeu um bebé é anunciar uma gravidez a esses pais. De repente, pensamos no que vamos dizer, como o vamos fazer e quando iremos partilhar. Não é fácil anunciar uma gravidez a alguém que perdeu um bebé e, a pensar nisso, decidimos escrever este artigo.

Saiba que são sentimentos semelhantes. Quer sejamos pais que tenhamos perdido filhos, quer sejam amigos ou familiares que nunca passaram por uma perda, há um receio em contar, um medo de magoar os pais, anunciando algo que, infelizmente, para eles não correu bem, um lembrar do que aconteceu que poderá trazer tristeza.

Deste modo, a pensar nas famílias cujos bebés morreram ou que batalham a infertilidade, esperamos que estes conselhos ajudem a dar esta notícia, que poderá sentir ser agridoce, da forma mais sensível possível.

Assim, a primeira coisa que gostaríamos de dizer é: conte-nos… sempre. Não tenha medo, se há alguém que vai estar ansiosa à espera que corra tudo bem e a enviar energias positivas somos nós, pais que sabem o que é vir para casa de braços vazios É que, apesar de ser algo solitário, que sabemos que acontece e estarmos preparadas para acolher, ninguém vai fazer de cheerleader melhor que nós. Nós queremos esse bebé aqui, vivo e saudável, tanto como os pais e não nos contar, com medo que nos magoe, só vai agravar o sentimento de isolamento que sentimos.

No entanto, temos plena consciência que é um tema difícil e esperamos que os próximos conselhos ajudem.

Como anunciar a gravidez a alguém que perdeu o bebé

Se puder, avise-nos antes de publicar nas redes sociais

Claro que isto depende do nível de intimidade e amizade que tem com a pessoa – esta lista é a pensar em pessoas próximas, envolvidas na nossa vida. Por isso, antes de anunciar ao mundo, avise-nos. Não é por mal, mas, dependendo de onde estamos no nosso luto, ver publicações destas podem tornar o nosso estômago num nó. É involuntário, mas depararmo-nos com estas publicações, desta forma abrupta, faz-nos pensar no que perdemos, podendo deixar-nos fragilizadas. Assim, saber de antemão vai oferecer a oportunidade para nos prepararmos ou evitarmos ver essa publicação.

Se puder, evite fazê-lo cara a cara

Pode soar estranho e é de louvar a honestidade de uma conversa assim. Mas considere que nos vai pôr no foco – quando ouvimos uma notícia destas podemos, mesmo sem querer, ser assaltados por emoções desconfortáveis. Então, temos de processar e reagir rapidamente e esta digestão acelerada e podemos dizer ou fazer algo que o vai magoar por não mostrarmos o entusiasmo adequado (e sim…esta é uma preocupação válida!).

Envie uma mensagem

Nós sabemos: parece uma forma impessoal de dar notícias tão grandes. Mas permite-nos processar a informação, pôr em ordem sentimentos difíceis e compor uma resposta apropriada (ou até preparamo-nos para uma chamada celebratória).

Dê-nos tempo

Não leve a mal se demorarmos a responder. Afinal, precisamos de tempo para processar. Saibam que estamos felizes por vocês mas, ao mesmo tempo, incrivelmente tristes por nós, seja porque a perda foi recente, ainda deveríamos estar grávidas ou estejamos a tentar novamente sem sucesso.

Não leve a mal os nossos novos limites

Podemos não conseguir acompanhar a vossa jornada na maternidade. Chás de bebé, festas de revelação de género ou até compras para bebé podem ser experiências dolorosas para pais que perderam um filho. Não se ofenda: apenas estamos a proteger-nos e a não tornar esta vossa fase feliz mais sombria por nossa causa.

Prometemos que estamos felizes por vocês, mas também estamos incrivelmente tristes por nós

Apesar de tudo o que os pais de colo vazio possam estar a sentir, lembre-se que esta é uma fase lindíssima e feliz para si. Poderá notar que estes pais se retraem mais em eventos sociais, mas uma vez que processem o que está a acontecer, vão querer estar envolvidos na sua vida. Não deixe de os convidar mesmo que eles digam que não. O importante é manter o espaço aberto para acolher, apoiar e abraçar quando for a altura.

E obrigada por terem os nossos sentimentos em consideração!

Categorias
Ajuda prática Gravidez pós-perda

Gravidez após a perda: 3º trimestre

Semana 28

Apoio para uma gravidez depois da perda

Olá, 3º trimestre! Estamos na última etapa desta gravidez depois da perda. Esta semana, o seu bebé pesa, oficialmente, 1 kg. Sim: um pacote de arroz ou de açúcar. Se vir outra mulher (ou homem) a embalar um pacote destes, já sabe, estão a testar o peso do bebé que aí vem.

Dependendo das condições da mãe, posição do pequeno ou placenta, se colocar um estetoscópio na sua barriga, vai conseguir ouvir o coração do seu rebento.

Esta semana, o cérebro do seu pequeno génio continua a desenvolver-se rapidamente e ganha as suas ‘dobras’. O seu bebé já deve ter uma rotina mais ou menos estabelecida de sono e já reage à sua voz, barulhos altos e luz exterior.

Ao entrar no terceiro trimestre, muitos pais têm dificuldade em confiar no seu corpo. Afinal, muitos ainda o culpam por uma perda anterior. Por vezes, esta desconfiança, leva a culpa ‘porque é que este bebé chegou aqui e o outro não?’, ‘será que foi algo que eu fiz?’ Isto é especialmente verdade para os pais que nunca souberam a razão da perda do bebé. Independentemente destes pensamentos, saiba que a morte do seu bebé não foi culpa sua. Foi, é, a melhor mãe que os seus bebés podiam ter e tanto a mãe como o seu corpo estão a fazer o melhor que podem para trazer este bebé ao mundo, vivo e saudável.

Eu permito-me apreciar a beleza e a alegria que esta gravidez me traz

Categorias
Ajuda prática Gravidez pós-perda

Gravidez após a perda: 2º trimestre

Semana 13

Apoio na gravidez após a perda

Esta semana, estamos oficialmente no 2º trimestre. Noutra vida, esta seria a semana que, provavelmente, iria partilhar a notícia; com uma foto de uma ecografia, mãos em forma de coração na barriga… Mas desta vez, nesta gravidez após a perda, é diferente, não é?

Anunciar uma gravidez é algo muito pessoal. Para alguns pais, vai fazer sentido guardar até não poderem mais (por norma se tiver sido uma perda mais tardia). Outros, vão partilhar, finalmente, que chegaram ao 2º trimestre. Já outras famílias vão partilhar logo porque, afinal, não é contar que vai afetar o desfecho, mas poderá influenciar o apoio que recebem se voltarem a perder.

Seja qual for a sua decisão, saiba que é a correcta. Se quiserem guardar para vocês, está tudo bem. Se quiserem contar, força também!

Esta semana o seu pequenino deve pesar cerca de 25 gramas e medir 7.4 centímetros. Para além disto, os ovários ou testículos do seu pesseguinho devem estar a desenvolver-se por dentro, mas ainda não são visíveis cá fora.

Por esta altura, os sintomas mais desagradáveis, como os enjoos, devem começar a acalmar. Bem-vinda à lua de mel da gravidez!

A coragem tem muitas formas. Por vezes é correr para um edíficio em chamas, outras é contar a sua história.

Nate Pile
Categorias
Ajuda prática Gravidez pós-perda

Gravidez após a perda: 1º trimestre

Semanas 0-4

Apoio para uma gravidez após a perda

Descobrir que estamos grávidas(os) após uma perda é uma viagem muito específica. Neste artigo, pretendemos dar apoio para uma gravidez após a perda, com enfoque no momento em que há um “positivo” e até ao final do 1º trimestre.

A verdade é que é um sentimento ambíguo. De repente não estamos nos grupos de grávidas que partilham todos os conselhos de parentalidade consciente. Por outro lado, também não sentimos que pertencemos a um grupo de luto, porque, dentro de nós, estamos a gerar uma nova vida. Aliás, não queremos magoar quem está a trabalhar o seu luto e a quem pode ser doloroso ver grávidas.

Mas, aqui está, deu um salto de coragem para esta nova aventura e está a preparar-se para a montanha russa que aí vem.

Assim, primeiro de tudo: Parabéns! Está grávida!

gravidez após a perda gestacional

Mães que tentam depois de uma perda, estão por norma atentas a tudo o que se passa no seu corpo e, por isso, tendem a descobrir mais cedo os resultados.

Facto: Sabia que mais de 50% dos casais voltam a tentar algures entre os 12 aos 18 meses depois da sua perda?

Categorias
Ajuda prática Gravidez pós-perda

Apoio para uma gravidez após uma perda gestacional

Uma gravidez após uma perda gestacional, seja aborto, uma perda tardia ou até após uma perda neonatal não é algo pelo qual se passe de coração leve. Para muitas pessoas, a percepção de uma nova gestação indica que, agora que há um outro propósito, a dor ficará esquecida. No entanto, para uma família que passou por um trauma como este, esta não é a realidade. Nesta página, procuramos dar informação e apoio para uma gravidez após uma perda gestacional.

Se este é o seu caso, não está sozinha(o).

Apoio para uma gravidez após perda

Que a esperança fale mais alto do que o medo!

Para muitos pais que passaram por uma perda, descobrirem que estão “grávidos” de novo pode trazer muitas emoções ao de cima. Desta forma, a esperança, o entusiasmo, o medo e a ansiedade, entre outros sentimentos são, por norma, uma constante numa gravidez após uma perda.

Assim, pode sentir-se cautelosamente otimista ou assoberbado por preocupação — quase expetante que algo vá correr mal — ou até estar a equilibrar os dois.

Enquanto que, para alguns pais, a gravidez pode ser reconfortante, para outros pode ser um tempo de grande ansiedade; inclusive com sentimentos de culpa em relação ao bebé que perderam.

No entanto, todos estes sentimentos são normais. Somos humanos e, como tudo, vamos lidando: um dia de cada vez.

Recordamos também que, apesar de estar numa viagem diferente, procurar ajuda é importante para a ajudar a lidar com esta nova aventura.

Como percebemos que todas as gravidezes são diferentes e, especialmente desafiantes depois de uma experiência como a perda de um bebé, oferecemos aqui o que esperamos ser um bocadinho de informação, companhia e apoio para uma gravidez após uma perda gestacional.