Categorias
Gravidez pós-perda

Gravidez após a perda: 1º trimestre

Semana 6

Apoio para uma gravidez após a perda

Dá por si a olhar para o papel higiénico cada vez que vai à casa de banho?

Se sim: não, não é maluca – é uma resposta ao trauma de uma perda no passado. Outra reação é mudar de obstetra ou até de local de parto. Conforme as semanas avançam, também medos de repetições vêm ao de cima, especialmente se perdeu o seu bebé cedo numa gravidez anterior.

Sabemos que tomar decisões no início da gestação pode ser assustador. A perspectiva de voltar a uma ecografia e receber más notícias (de novo) atrasa algumas mães a marcarem os seus exames. Mas lembre-se: não há nada que possa fazer e, estatisticamente, se nada específico provocou a perda passada, a probabilidade de uma gravidez bem sucedida é a mesma de qualquer família.

Esta semana está oficialmente no segundo mês e o coração do seu pequenino já baterá a umas aceleradas 160 a 180 vezes por minuto. Começam a aparecer também covinhas onde as feições do bebé se formarão, incluindo narinas, olhos e orelhas.

Só podemos criar o melhor ambiente possível para um bebé. O que acontece lá dentro, ninguém controla. Confie.

Um comentário a “Gravidez após a perda: 1º trimestre”

Obrigado pelo artigo é mesmo isso. Por aqui agastei me um pouco deste cantinho que me fez tão bem. Actualmente já entrei no 3 trimestre e estou à espera do meu segundo arco iris tive 3 perdas 1 antes do primeiro bebe arco iris e só etou no terceiro trimestre deste bebe porque arquei com as custas e insisti para me fazerem os estudos para descobrir o que se passava conclusao tenho uma trobofilia logo tenho de fazer injecoes diárias por isso considero a minha filha viva 1 filha milagre porque apesar de ter perdido sangue com as semanas que perdia sempre os bebes consegui levar a gravidez a termo sem ter tomado as injecoes logo ela ter vingado sabendo hoje da trombofilia considero 1 milagre

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.