Categorias
Gravidez pós-perda

Gravidez após a perda: 2º trimestre

Semana 24

Apoio na gravidez após a perda

Ok, esta semana é grande, enorme até a nível de gestação. Esta é a primeira semana que marca a viabilidade no caso do seu bebé nascer mais cedo. Certo, não garante sobrevivência, nem evita que bebés morram mais a termo mesmo na barriga, MAS, há agora chance de sobreviver caso nasça com vida e com mais de 500 gramas.

Claro que, um nascimento tão prematuro significa semanas na neonatologia, com cuidado atencioso. Nesta fase os pulmões e o fígado ainda não estão prontos e a muitas mães, quando vão para a maternidade com risco de parto prematuro, vão-lhes ser oferecidos esteróides e repouso para tentar manter esse presentinho dentro do forno.

Para muitas famílias que viram o seu bebé a nascer antes das 24 semanas (e com o peso adequado), muitas vezes ainda com vida, há um sentimento de impotência muito grande que lhes parte os corações. A verdade, é que antes desta etapa, se o bebé nascer, os médicos não vão poder ajudar e saber, viver isso, é desolador (esta palavra não chega para a descrição deste sentimento).

Assim, muitas mães e pais, quando passam esta semana, dão o primeiro verdadeira suspiro de alívio. Porque agora receberiam ajuda e talvez este bebé venha para casa.

Legalmente, o seu estatuto muda também e, mediante situações, os seus direitos, no evento de uma perda ou prematuridade, tanto são iguais a qualquer mãe e pai a cujo bebé nasça a termo. Pode ler mais aqui.

O seu bebé tem agora cerca de 30 centímetros e 600 gramas e, se o vir, já se vai parecer muito com o pequeno que será quando nascer – claro, mais magrinho, mas não se preocupe que em breve essas bochechas vão começar a ficar amorosas.

Semana a semana, dia a dia, hora a hora, momento a momento, estou mais perto de te conhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.