Categorias
Informação útil Perda gestacional Perda precoce

Estudo no Porto sobre as causas de aborto de repetição (recrutamento)

O Amor para além da Lua apoia a investigação em Portugal sobre a perda gestacional, que é tão necessária.

Por essa razão, divulgamos um estudo que está a ser desenvolvido na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e deixamos toda a informação a quem nele pretenda participar.

Participar na investigação em ciência é também uma forma de ajudar a encontrar respostas para as causas da perda gestacional e, quem sabe, no futuro, evitar que outras mães passem por esta dor indescritível.

Estudo sobre a perda recorrente de gravidez

O estudo em questão abrange a perda recorrente de gravidez, ou seja os abortos de repetição. Consiste em abortamentos espontâneos em duas ou mais gestações consecutivas até às 24 semanas, nas situações em que não existe uma causa identificada.

A perda recorrente de gravidez afeta cerca de 5% das mulheres grávidas em todo o mundo e estima-se que cerca de metade dos casos permaneçam sem explicação. Uma equipa de investigação da FMUP, da qual fazem parte as cientistas Sofia Dória e Diane Vaz, está a explorar a possibilidade de estes abortamentos estarem relacionados com a expressão anormal de determinados retrovírus endógenos em células do endométrio, comprometendo o seu normal funcionamento e a produção de hormonas e nutrientes de suporte à gravidez.

Segundo Sofia Dória, professora da FMUP, “se os retrovírus e a disfunção endotelial estiverem efetivamente relacionados com a perda recorrente de gravidez, este estudo poderá sugerir novas abordagens na avaliação e seguimento dos casos de mulheres com esta doença que impede o sucesso da sua reprodução”.

Estudos preliminares mostraram que, comparativamente com as mulheres saudáveis, estes retrovírus têm uma menor expressão no endométrio em mulheres com perdas recorrentes de gravidez, o que indica que estas famílias de retrovírus “devem ter funções vitais no endométrio, devem estar comprometidas e devem, por sua vez, causar estas perdas”, conclui a investigadora.

Recrutamento no âmbito do estudo

A equipa já tem selecionadas pessoas que passaram por perdas recorrentes e precisam agora de um grupo de controlo. Para avançar com esta investigação, a equipa da FMUP está a recrutar:

  • mulheres saudáveis, em idade reprodutiva
  • sem história de abortamentos recorrentes
  • com pelo menos um filho.

Não será realizado qualquer teste invasivo, sendo apenas solicitada a colheita de amostras de fluido menstrual.

Estas amostras, que serão obtidas através de um copo menstrual disponibilizado gratuitamente, permitirão comparar células epiteliais do endométrio de mulheres saudáveis com células do endométrio de mulheres que sofreram perdas recorrentes de gravidez.

Estas últimas serão obtidas através da colaboração com o serviço de Obstetrícia do Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ).

Além dos investigadores do serviço de Genética da FMUP, e do serviço de Obstetrícia do CHUSJ, este projeto conta com o envolvimento de cientistas do Centre for Genomics and Child Health, Blizard Institute, Faculty of Medicine and Dentistry, Queen Mary University of London (QMUL), no Reino Unido.

Mais informações sobre o estudo | Contactos caso haja interesse em participar

Contactar:

Diane Vaz
910428935 ou doutoramentoprojeto@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *