Categorias
Gravidez pós-perda

Gravidez após a perda: 2º trimestre

Semana 21

Apoio na gravidez após uma perda

Esta semana, esse rebento de 350 gramas e 26.7 centímetros está a criar enzimas digestivas.

Nesta fase, o seu pequeno pode já responder a sons externos (não importa o mal que canta, esse bebé é o seu maior fã!) e anda, ativamente, às cambalhotas no seu útero.

Outra coisa boa (exceto para a dieta) é que pode sentir um aumento no seu apetite – lembre-se que, na verdade, a grávida só precisa de ingerir 250 gramas extra e não está, de todo, a comer por dois (mas se de vez em quando, moderadamente, houver uma fatia de bolo, ou um geladinho…a culpa é sempre deles!). Moderação é a chave.

Nesta semana, lembramos também que não deve ignorar sintomas de mal-estar. Por exemplo, uma dor de cabeça que não vai embora e que não é ajudada com medicação, deve ser comunicada ao seu médico de família ou obstetra. Isto porque pode ser um indicador de pré-eclâmpsia, que deve ser diagnosticada o mais rápido possível para monitorização da saúde materna e do bebé.

Se esta semana se sentir mais sozinha, ligue a um amigo(a) que a ouve e percebe. Verbalizar os seus sentimentos é uma forma de os processar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.